Por

MARCELA
FIGUEIREDO
DE PAIVA

COMPOR

TAMENTO

A fronteira entre intercâmbio e apropriação cultural

Olho

Mesmo sendo um termo de constante debate entre a juventude vigente, a apropriação cultural ainda é altamente desconhecida entre a nossa população. Com o intuito de esclarecer e informar, será mostrado a concepção de apropriação cultural e sua diferença com intercâmbio cultural.

 

Afinal, é necessário compreender a linha de cruzamento entre os dois termos e o limite de cada um. O intercâmbio cultural é um processo mútuo em que todas as culturas valorizam e respeitam o significado dos elementos compartilhados. A diferença entre intercâmbio e apropriação cultural existe justamente por, no último, não haver essa valorização e respeito de

tais elementos.

 

Um estilotípico de uma cultura socialmente inferiorizada, que geralmente leva a criação de estereótipos, acaba se tornando algo legal ou fashion ao ser apropriado por um indivíduo de uma cultura dominante. Logo, esse estilo é apropriado á moda, excluindo aos indivíduos que de fato pertencem à cultura que engloba tal estilo.

 

Toda essa desvalorização e falta de respeito ocorre, pois o apropriador não leva em conta a forma como a cultura foi tratada historicamente e acaba usando ícones culturais como um mero acessório desprovido de significado. 

 

Outra forma de também ocorrer a apropriação cultural é aderir ao cotidiano rituais e tradições de outras culturas apenas por diversão. Exemplo disso é o uso do terceiro olho hinduísta, apenas como uma moda de verão, ou o uso de acessórios e símbolos religiosos sem ter qualquer crença.

Dreads na cultura negra

Muitas pessoas adotam uma cultura como forma de chamar atenção. Tomando como exemplo a cultura negra, que muitas vezes sofre uma imposição pela cultura branca-ocidental, percebe-se que maioria usa o penteado dreads como forma de controlar seus cachos, porém ultimamente,há o uso do dreads também por pessoas brancas.

 

Já pararam pra pensar que quando um negro alisa o cabelo sempre há críticas racistas, mas quando um branco usa dreads é considerado algo estiloso e legal? Nos últimos anos, a cultura negra vem sendo popularizada de uma forma absurda.

 

Vários itens são capitalizados e comercializados mundialmente, porém os membros dessa cultura não usufruem o beneficio disso. Gêneros musicais criados como forma de resistência e/ou criados para afirmar a identidade e ecoar as vozes dos negros, estão sendo popularizados com intuitos monetários e esquecendo o real motivo do seu surgimento.

 

Enquanto mulheres brancas fazem sucesso por meio do capitalismo e são elogiadas ao apropriarem da cultura negra; as mulheres negras continuam sendo submetidas á críticas sobre suas aparências e ataques racistas.

 

A rapper negra Azealia Banks fez um comentário sobre a forma que a rapper branca IggyAzalea se apropria de sua cultura: “A cultura negra é legal, mas o problema negro não, certo?”.

 

Banks aponta que a falha está em um ícone popular do meio musical não usar sua voz para pensar, falar e agir contra o racismo que vem junto com a identidade negra que está se apropriando.

 

Nem tudo é apropriação cultural, por isso é importante saber o significado e exemplos da expressão. Fazer ou comer pratos de outras culturas, apreciar a arte de culturas diferentes da sua, ler um livro ou assistir filmes de outro país não são apropriação cultural.

 

Se você está compartilhando de uma forma respeitosa e valorizando outras culturas, isso é intercâmbio cultural. Usar a roupa de uma cultura diferente da sua não é um problema. tornar isso um símbolo do capitalismo ou diversão despida de um real significado é um problema.

 

É preciso compartilhar e respeitar ao mesmo tempo, sem esquecer o valor histórico daquela cultura e muito menos excluir os membros de uma cultura de minoria ao se apropriar dela. Afinal: “Como a América seria se amássemos os negros tanto quanto amamos a cultura negra?”.

Confira também

© 2015-2016. Criado por Vinicius de Morais Pontes, sob orientação do profº Nilton José dos Reis Rocha. FIC/UFG.