Tenho, em mim, todos os sonhos do mundo

Por

CYNTHIA
HELOANY

CRÔNICA

Infelizmente o número de corações partidos todos os dias, é igual ao total de habitantes do Planeta. 
Totalizando isso ao número de pessoas que se sentem: ignoradas, desprezadas e mal amadas.
Existe uma ponte imensa em extensão, onde as pessoas mais se suicidam no mundo (independente do motivo).
A famosa então, Ponte Golden Gate. Fico imaginando o que leva ás pessoas a tirarem a própria vida. Além do sofrimento, da dor e por inúmeras razões controversas.
Me sinto inútil em discutir o porquê,pra que e como que elas tomam essa coragem.
Raramente me coloco no lugar delas, mas já me senti em um estado depressivo.
 A falta de diálogo em casa, com os amigos ou com quem disse que poderia contar. Já me feri com gillete, para ver meus pulsos sangrarem. 
Já me olhei no espelho, me sentindo a pior filha, amiga e mulher dessa geração. Já odiei a forma que sou, que penso e até a maneira que eu agia. 
Por tudo que passei, cresci e amadureci. Por tudo que já ouvi. Por tudo que já vi. Penso que a vida em si é indiscutível. 
O fato de receber uma oportunidade dessas, do universo, da teoria do big-bang, do Messias, é a maior razão do Universo. De poder correr atrás dos seus sonhos e do que te motiva.
Cada pessoa trilha seu próprio caminho, seguindo aquilo que acredita ser o real.
Viver sem sonhar, é o mesmo que só existir. Independente do que aconteça permanecer é sempre a melhor opção.
Confesso, em primeira instância, que adoraria conhecer essa ponte. Sentir o poder exercido pela mesma. 
Adoraria sentir o vento daquelas águas tocando meu rosto, e o poder de sobreviver a queda.
Adoraria saltar dela e voltar mais forte.
Porém, adoraria. Só.Viver continua sendo o meu maior e melhor salto.

Confira também

© 2015-2016. Criado por Vinicius de Morais Pontes, sob orientação do profº Nilton José dos Reis Rocha. FIC/UFG.