Por

SELINA
JANIA RODRIGUES SILVA

IDEIAS

Virtualização do debate intolerante

Usuários com opiniões de ódio viralizam nas mídias socias e ganham o título de haters

A Constituição Brasileira assegura a liberdade de expressão e, com o surgimento das redes sociais, nunca tem sido tão fácil expressar ideias e opiniões. Juntamente com esses novos meios de comunicação, emergiu os famosos haters. Os haters são pessoas que postam comentários de ódio e sem critérios contra determinada posição ideológica ou personalidade, entre outros.

 

Esse tipo de usuário tem crescido cada vez mais e em muitos casos chegam a extremos. Várias pessoas são vitimas de agressão verbal e ameaças, em muitos casos comentários racistas e discriminatórios. Esse tipo de comportamento sempre existiu ao longo da formação do povo brasileiro, sendo construído em bases discriminatórias e intolerantes, causando repressão a quem era opositor a tal pensamento.

Sou um parágrafo. Clique aqui para adicionar e editar seu próprio texto. É fácil.

Devido a virtualização de um comportamento cada vez mais intolerante, não se deparar com esses tipos de comentários tem sido quase impossível. Lorena Reginato, uma garota de 12 anos, que teve câncer, tinha um sonho de ter um canal no youtube, seu primeiro vídeo publicado, que contava um pouco de sua história e dos motivos do canal, logo se viralizou sendo visualizado por milhares de pessoas.

 

Ao mesmo tempo em que diversas pessoas apoiavam o Careca TV, nome de seu canal, surgiram haters que demonstravam ser contra ao sucesso repentino da garota, alegando que se tratava de uma aproveitadora, já que youtubers famosos haviam ajudado o seu canal. Mas o extremo chegou ao ter sua conta hackeada e todos os seus vídeos apagados. Em entrevista ao Fantástico, Lorena comentou sobre o ocorrido: “Foi um choque, quase pior que quando eu soube que tava com câncer”.

 

Promover um debate em que ambas as partes se respeitem e busquem argumentos criteriosos deveria ser um dos princípios básicos para todos os internautas. É possível expressar sua opinião respeitando os limites do próximo. Mesmo nas redes sociais é preciso ter cautela com as palavras e pensar antes de escrever ou fazer qualquer coisa. É importante lembrar que já existem leis que estão em vigor que tipificam crimes virtuais, e o fato de agir anonimamente ou não, achando que estará impune pode ser um grande equívoco.

Confira também

© 2015-2016. Criado por Vinicius de Morais Pontes, sob orientação do profº Nilton José dos Reis Rocha. FIC/UFG.