Por

DANIELA FIGUEREDO VERSIANE

ESPORTE

Minha posição em campo

Olho

O futebol é um universo mágico, mas ao mesmo tempo injusto. Fico observando aqueles jogadores em campo, correndo atrás de mim, (não que eu ache ruim) mas quando entro na rede quem leva o mérito não sou eu.

 

Ao contrário do que muitos pensam, não sou mais um intrumento no jogo, sou a peça principal. Jogo dos dois lados. Aquele que saber me conduzir melhor. Vence.

 

Corro, rastejo, voo, danço...

 

A personalidade de quem me tem nos pés é passada pra mim. Me torno audaciosa, faço curvas inimagináveis, com aquela dose de malícia que não pode ficar de fora.

 

O que na verdade pula pra fora, salta dentro do peito, é o coração dos torcedores, quando de próposito, me rebato no travessão. Sim! De propósito. Só para ouvir aquele "aah" de um lado do estádio e aquele "ufa" do outro.

 

Passei da linha ou não passei?

 

Foi gol ou não foi?."

 

Ei seu juiz, não é querendo atrapalhá-lo não, mas esse escanteio que aqui não existiu.

 

Se perguntassem para mim, muitos resultados seriam diferentes.

 

Como não perguntam  eu dou meus "pitacos" assim mesmo...

 

Pelé já era bom demais enquanto jogador, não precisava de um gol do meio de campo. Aquela afastadinha que dei para a bola não entrar na rede, entrou para a história.

 

Maradona usou logo a mão, não me deu chance de reagir (não consigo ser mais esperta sempre).

 

Sobre mim, João Cabral de Melo Neto escreve, "a bola de futebol é um utensílio semivivo de reações próprias como bicho e que, como bicho é um mister (mais que bicho, como mulher) usar com malícia e atenção dando aos pés astúcias de mãos."

 

É isso...

 

Retribuo ao jogador aquilo que acha que me da. Sou uma metamorfose, não a ambulante de Raul, mas, ciscunstancial, de acordo com o que merecem de mim.

 

E um segredo: na verdade, o lugar que mais gosto de ficar é no fundo da rede, em que me encaixo quando eu e o jogador fazemos uma parceiria , e eu entro ali entre o vulto dos dedos do goleiro e onde a trave e o travessão fazem um encontro perfeito.

 

Imprevísivel...

 

Sorrateira...

 

Então, vai encarar?

 

Bora?

 

Bola!

 

Confira também

© 2015-2016. Criado por Vinicius de Morais Pontes, sob orientação do profº Nilton José dos Reis Rocha. FIC/UFG.