Por

MARINA
BARROS
FERREIRA

CULTURA

O cinema revolucionário de Akira Kurosawa

Curiosidades sobre a vida e carreira do grande cineasta japonês

Nasce, em 23 de março de 1910, na cidade de Tóquio, um dos maiores e mais importantes cineastas do Japão, Akira Kurosawa, que influencia o cinema não só no arquipélago asiático, mas em todo o mundo, ganhando o titulo de revolucionário.

 

Kurosawa dirige, com sucesso, 30 longas durante toda a sua carreira de aproximadamente cinquenta anos, sendo premiado em 1989 com o Honorary Award (Premio de honra) pela sua influencia e suas incríveis obras cinematográficas em conjunto.

 

O cinema de Akira Kurosawa conta com magníficas produções premiadas e

nomeadas como Ran (1985), Kagemusha (1980), Ikiru (1952) e Os setes samurais (1954), todos longas recheados de aventura, drama, ação, humor e incríveis histórias que hora eram interpretações de Kurosawa sobre determinadas lendas locais ou capítulos de guerras famosas, hora eram criações de sua própria imaginação que transcendia barreiras tanto cinematográficas como temporais.

Sou um parágrafo. Clique aqui para adicionar e editar seu próprio texto. É fácil.

O grande cineasta utiliza de técnicas originais para fazer de seus filmes, os mais vibrantes e artísticos ao mesmo tempo. Akira introduz ao cinema a temática “chambara” e foi marcada pela transição “wipe” (que posteriormente seria popularizada pelo Star Wars), ( Ou seja....) pelas composições inspiradas na pintura, pelas histórias inspiradas na literatura, e por sequências de ação revolucionárias.

 

Kurosawa contou com grandes companheiros e aprendizes durante sua carreira como George Lucas, Francis Ford Coppola e Takashi Koizumi. Akira jamais se aposenta, seguindo seus últimos dias junto ao cinema, tendo um filme póstumo lançado e 55 premiações das mais diversas em suas obras durante e depois de sua morte em 6 de setembro de 1998 em Tóquio, Japão.

 

Cena do filme "Os sete samurais", estrelado por Toshio Mifune, que é considerado a obra prima do cineasta

Confira também

© 2015-2016. Criado por Vinicius de Morais Pontes, sob orientação do profº Nilton José dos Reis Rocha. FIC/UFG.